Apoio ao Cliente +351 21 499 74 00

Siga-nos


O cordão umbilical é cortado após o nascimento do bebé, permanecendo no local, a que posteriormente chamamos de umbigo, um pequeno coto: o coto umbilical.
O melhor cuidado ao coto umbilical após o nascimento gera controvérsia, causadora de dúvidas entre profissionais saúde e pais. Há quem sugira a utilização de uma compressa com álcool a 70 graus, sem cetrimida, para limpar o cordão 1x por dia; outros sugerem limpeza regular, com a utilização de compressas com soro fisiológico e há ainda quem sugira lavagem no banho, com água, com cuidado de se secar bem no final.
Há alguns anos atrás acreditava-se erradamente que a utilização de faixasligaduras compressivas sobre o cordão umbilical de recém-nascidos ajudava a prevenir que este ficasse saliente ou que se formassem hérnias umbilicais. Estudos científicos comprovaram que tapar e comprimir o cordão com faixas, ligaduras ou compressas, aumentam as condições de humidade e falta de oxigenação, potenciando o desenvolvimento bacteriano e por isso aumentando a probabilidade de infeções. Adicionalmente, comprovaram ainda que não são eficazes na prevenção de hérnias umbilicais.
A Associação Portuguesa de Enfermeiros Obstetras reuniu a evidência científica mais recente sobre o assunto, para realizar este pequeno artigo orientador, para que se sinta mais seguro para tratar o coto umbilical do seu bebé.

Há alguns anos atrás acreditava-se erradamente que a utilização de faixasligaduras compressivas sobre o cordão umbilical de recém-nascidos ajudava a prevenir que este ficasse saliente ou que se formassem hérnias umbilicais. Estudos científicos comprovaram que tapar e comprimir o cordão com faixas, ligaduras ou compressas, aumentam as condições de humidade e falta de oxigenação, potenciando o desenvolvimento bacteriano e por isso aumentando a probabilidade de infeções. Adicionalmente, comprovaram ainda que não são eficazes na prevenção de hérnias umbilicais.

 

Qual o melhor produto para tratar?


No primeiro dia, o coto umbilical tem um aspecto gelatinoso, mas com o passar do tempo, à medida que vai cicatrizando, esse coto seca e fica duro e preto. Ao fim de 3 a 15 dias, acaba por cair, ficando apenas a cicatriz que todos bem conhecemos: o umbigo.
O uso de produtos antibacterianos para tratar o coto do cordão umbilical tem vindo a ser substituído em muitas unidades de saúde pela técnica dry care, que significa manter o cordão limpo e seco após o banho, sem aplicação rotineira de produtos. Em locais sem risco acrescido de infeção, esta a técnica parece ter benefícios relativamente às restantes, por ser um procedimento fácil, simples e seguro e por reduzir em média 2 dias ao tempo de queda do coto umbilical (Covasa et al., 2013; Kanisek et al., 2015; Quattrin et al., 2016).

 

Quando devo tratar?


O tratamento deve ser realizado pelo menos uma vez por dia, devendo ser realizado um tratamento extra sempre que estiver sujo com urina ou fezes. Se verificar que há sinais inflamatórios (vermelhidão ou inchaço em torno do coto umbilical, cheiro fétido e/ou secreções purulentas) ou no caso de um sangramento acentuado, deve contactar um profissional de saúde.
Sempre que colocar a fralda no seu bebé, esta deve ficar colocada abaixo do umbigo, de modo a assegurar que não fica sobre o coto umbilical, para que este se mantenha seco, arejado e apenas tapado com roupa limpa do bebé. Estes cuidados devem ser mantidos após a queda, até se verificar uma completa cicatrização do umbigo.

 

ü  Lavar as mãos com água e sabão;

 

ü  Limpar a pele circundante, a base e o clamp do coto umbilical com uma compressa limpa, dobrada, com água tépida e sabão com ph 5,5;

 

ü  Caso esse lado da compressa fique sujo com serosidade/resíduos, deve-se utilizar outro lado da mesma para voltar a limpar e repetir o processo até garantir que foram removidos todos os restos de serosidade/resíduos;

 

ü  Limpar de seguida com compressa limpa, embebida em água tépida, para remover os restos de sabão;

 

ü  No final, secar com compressa limpa toda a área circundante, o coto e o cordão umbilical;

 

ü  Não colocar nada a pressionar o coto umbilical, dobrando a fralda de modo a que não o cubra;

 

ü  Se o coto umbilical libertar pus, cheirar mal e/ou a região onde se insere estiver inchada e vermelha, contacte um profissional de saúde.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Conteúdo recomendado e elaborado em parceria com a Associação Portuguesa dos Enfermeiros Obstetras

 

Logo

Facebook  |  Instagram

 

 

Subscreva a nossa Newsletter

AS SUAS OPÇÕES RELATIVAMENTE A COOKIES NESTE SITEX

Decida se este site pode usar cookies funcionais e/ou publicitários, tal como descrito abaixo:

   Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Mais informação