Apoio ao Cliente +351 21 499 74 00

Siga-nos

 

O que é?
Os cuidados de higiene e de conforto à pele do bebé contemplam a muda da fralda. A vossa enfermeira e/ou médico pediatra irá realizar todos os ensinos e recomendações necessários para evitar o aparecimento de uma dermatite de fralda.
A Dermatite da fralda ou eritema da fralda, ou como comumente dizemos assadura da fralda, são termos genéricos que abrangem um conjunto de reações inflamatórias da pele perineal e perianal (virilhas e em redor do ânus), ou seja, a zona da pele coberta pela fralda. 
Sabia que a dermatite da fralda surge em 50% dos bebés? Trata-se de uma alteração cutânea muito comum que tem o seu pico de incidência entre os 9 e os 12 meses de vida do bebé. O seu aparecimento está associado a uma combinação de diversos fatores, como por exemplo: o contato prolongado das fezes e urina; alguns produtos que podem ser irritantes para a pele; causas infecciosas, bacterianas ou alérgicas. 
A mais frequente é a dermatite da fralda irritante que consiste na formação de manchas rosadas ou vermelhas na pele coberta pela fralda. As pregas da virilha são zonas menos afetadas pois estão mais protegidas da urina e das fezes.
A dermatite da fralda pode também ser causada por fungos, caracterizando-se pela presença de manchas brilhantes, vermelhas ou cor-de-rosa. Esta erupção cutânea pode também ter pequenas saliências ou borbulhas cor-de-rosa. Em casos graves, pode levar ao aparecimento de feridas sangrantes. Estas erupções são geralmente piores nas pregas da virilha (ao contrário do que acontece na dermatite da fralda irritante). A dermatite da fralda causada por fungos pode ocorrer quando o bebé toma antibióticos, por exemplo. Nestes casos, os pais devem certificar-se que lavam bem as mãos antes e depois da muda da fralda. Recomenda-se também a consulta com um profissional de saúde, pois pode ser necessário a utilização de uma pomada com antifúngico para ajudar a reparar a pele e controlar a proliferação dos fungos.
Há também casos de dermatite da fralda em que existe infecção provocada por bactérias. Nestes, que são extremamente raros, a pele encontra-se vermelha brilhante à volta do ânus. Seja como for, também nestas situações se deverá consultar o médico pediatra para que possa fazer o diagnóstico e recomendar o tratamento adequado.
Por fim, a dermatite da fralda provocada por reação alérgica ocorre ocasionalmente e está associada a um componente específico das fraldas, toalhitas e/ou cremes. Os alergénios comuns incluem corantes ou elásticos na fralda, as fragrâncias ou conservantes das toalhitas ou determinados ingredientes de cremes para a muda da fralda. A erupção cutânea surge onde ocorre contato com a substância que causa a alergia. 
Existem bebés que são mais suscetíveis do que outros para o aparecimento da assadura da fralda. Temos como exemplo os recém-nascidos devido à imaturidade da sua pele: a sua maior fragilidade cutânea pela redução de elasticidade associada à falta de colágenio e fibras elásticas  conduz a um risco aumentado de lesões e formação de bolhas na pele. 

 

 

Como prevenir a assadura da fralda?

A recomendação para prevenir o aparecimento da assadura da fralda visa um conjunto de medidas que pretendem garantir que a pele do bebé se encontra limpa, seca, hidratada e o pH não é alterado.  A troca frequente das fraldas limitando o contacto da pele com a urina e as fezes é fundamental para a redução da humidade na zona da fralda. 
A toma de antibióticos pela mãe e/ ou bebé constituem um fator de risco para o aparecimento da dermatite da fralda pelo facto de alterar a flora intestinal, aumentar a probabilidade de diarreia e potenciar o aumento de enzimas digestivas. Já o aleitamento materno, bem como a troca frequente da fralda reduzindo a humidade, são considerados fatores protetores. Alerta-se também para a adequada higiene da roupa do bebé garantindo que a lavagem é realizada com água quente e o enxaguar seja com abundância. O uso de amaciadores deverá ser evitado. 

Existem outros cuidados que visam a prevenção tais como:

- Não utilizar produtos com álcool ou fragrância;

- Utilizar água morna na limpeza e produtos dermatologicamente testados;

- Secar sem fricção a pele;

- Após cada muda de fralda pode ser aplicada uma pasta protetora ou um emoliente;

- O uso de pó de talco é contraindicado;

- A escolha das fraldas com bom poder de absorção;

- Garantir a ventilação não apertando demasiado a fralda; 

- É indicado que na presença de erupções cutâneas que não desaparecem rapidamente, os pais devem procurar avaliação pelo médico do seu bebé; 

- Ser gentil com a zona perineal e perianal dos bebés é fundamental, a pele deverá manter-se limpa, seca e hidratada para garantir que cumpre todas as suas funções. 

 

 

Conteúdo recomendado e elaborado em parceria com a Associação Portuguesa dos Enfermeiros Obstetras

 

Logo

Facebook  |  Instagram

 

 

Subscreva a nossa Newsletter

AS SUAS OPÇÕES RELATIVAMENTE A COOKIES NESTE SITEX

Decida se este site pode usar cookies funcionais e/ou publicitários, tal como descrito abaixo:

   Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Mais informação